A narrativa fantástica do mito do neurótico - 28 de maio

Data

 ~ 

Local

Av. Vitória, 2220 - Monte Belo, Vitória - ES, 29053-360, Brasil

Sobre o evento

Sobre o evento




Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos”, poetiza o escritor Saramago. E porque não tem nome, esse inominável fala, suspira, sussurra, desacata e não faz sentido! E por não fazer sentido nos obriga a inventá-lo criando histórias fantásticas – uma maneira de lidarmos com essa coisa estranhamente familiar: o pequeno Hans fantasiou a fobia de cavalo; o homem dos ratos, com seus pensamentos obsessivos, imaginava que seus entes queridos poderiam se ferir; Dora arquitetou uma trama envolvendo seu pai e o casal K para saber sobre o feminino e as crianças constroem teorias sexuais infantis diante da diferença anatômica entre os sexos. Assim, todo neurótico, causado por essa coisa, elabora seu mito individual. E foi nesse contexto de teorização clínica que Freud forjou o mito de Totem e Tabu, uma história também fantástica onde os filhos matam o pai para ter acesso ao gozo supremo suposto ao pai, através do cerimonial da refeição totêmica. Mas a morte do pai tem como efeito a impossibilidade de se obter esse gozo, uma vez que algo do pai - talvez essa Coisa – não pode ser incorporado no banquete totêmico. Mas afinal, o que seria essa coisa? Haveria um nome capaz de, ao mesmo tempo, nomeá-la e preservar sua natureza irrepresentável? Por fim, o que tudo isso tem a ver com a função do pai? São sobre essas e outras coisas que conversaremos em nosso seminário ao longo deste ano.

Local: FAESA Campus Vitória - Sala 444